Medalhas de Mérito Científico REN – Ciência LP

As Medalhas de Mérito Científico REN – Ciência LP, visam reconhecer e valorizar trabalhos científicos de jovens africanos.

As Medalhas de Mérito Científico REN – Ciência LP, podem ser atribuídas a dois tipos de destinatários:

  1. Mulheres até aos 35 anos, oriundas de países africanos de língua portuguesa que tenham realizado projetos de investigação no âmbito da sua formação avançada (mestrado ou doutoramento), em áreas de transição energética;
  2. Estudantes (M/F) oriundos de países africanos de língua portuguesa, que tenham realizado projetos de investigação no âmbito da sua formação avançada (mestrado ou doutoramento), cujo objeto de estudo seja a transição energética em África;

PRÉMIOS

As Medalhas de Mérito Científico têm associado um valor pecuniário e poderão ser atribuídos dois prémios:

  • Mulheres até aos 35 anos

          – 1º Prémio: 5.000 € (cinco mil euros)

         – 2º Prémio: 2.500 € (dois mil e quinhentos euros)

  • Estudantes (M/F)

         – 1º Prémio: 5.000 € (cinco mil euros)

         – 2º Prémio: 2.500 € (dois mil e quinhentos euros)

Serão atribuídos diplomas alusivos à Medalha de Mérito Científico, dos quais constarão a identificação do premiado, o título do trabalho e o ano a que se reporta.

JURI DE AVALIAÇÃO

O Júri de Avaliação é selecionado pelas Escolas de Engenharia do respetivo Consórcio (CEE) e será composto por um mínimo de cinco Professores/Investigadores de Unidades Orgânicas onde se realiza investigação na área em que as Medalhas são atribuídas. O Presidente do Júri é indicado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, enquanto Coordenadora do Consórcio das Escolas de Engenharia.

COMPOSIÇÃO DO JÚRI DE AVALIAÇÃO

PRESIDENTE DO JÚRI

Professora Maribel Yasmina Santos

Vice-Presidente da Escola de Engenharia – Universidade do Minho e Presidente do Conselho Pedagógico da Escola de Engenharia – Universidade do Minho

Maribel Yasmina Santos é Professora Associada com Agregação do Departamento de Sistemas de Informação da Escola de Engenharia da Universidade do Minho. É Licenciada em Engenharia de Sistemas e Informática (1991), Mestre em Informática – Especialização em Informática de Gestão (1996), Doutorada em Tecnologias e Sistemas de Informação (2001) e Agregada em Tecnologias e Sistemas de Informação (2012), pela Universidade do Minho.

É membro integrado do Centro de Investigação ALGORITMI (http://algoritmi.uminho.pt/), enquadrada na linha IST (Information Systems and Technologies), sendo a coordenadora do grupo de investigação SEMAG (Software-based Information Systems Engineering and Management Group, http://semag.algoritmi.uminho.pt), no qual lidera a linha de investigação “Organizational and analytical data-intensive systems”. É investigadora sénior do domínio Engineering Process Maturity and Quality (EPMQ) do Centro de Computação Gráfica (http://www.ccg.pt).

É coautora de mais de 150 publicações internacionais, incluindo livros, capítulos de livros e artigos publicados em revistas ou em atas de conferências. Já participou em mais de 25 projetos de investigação liderando ou trabalhando na componente analítica para suportar a tomada de decisão, estando atualmente a participar ou a coordenar a participação em 7 outros projetos. Coorienta 5 estudantes de doutoramento e 3 estudantes de mestrado, tendo já concluído a orientação (ou coorientação) de 6 teses de doutoramento e 51 dissertações de mestrado.

Foi Diretora-adjunta do Departamento de Sistemas de Informação da Universidade do Minho de Maio de 2010 a Julho de 2014. Foi membro da comissão diretiva da AGILE (Association of Geographic Information Laboratories in Europe, http://www.agile-onlie.org) de Abril de 2011 a Junho de 2015, tendo sido Secretária-Geral desta associação de Maio de 2013 a Junho de 2015. É Vice-Presidente da Escola de Engenharia da Universidade do Minho e Presidente do Conselho Pedagógico da Escola de Engenharia da Universidade do Minho desde 2 de Outubro de 2019.

ELEMENTOS DO JÚRI

Professora Arminda Alves

Diretora do ALICE, Laboratório Associado para a Engenharia Química, Universidade do Porto

Maria Arminda Costa Alves licenciou-se em Engenharia Química pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto em 1983 e obteve o Doutoramento em Engenharia Química em 1992. É Professora Catedrática do Departamento de Engenharia Química desde 2014 e Diretora da Unidade de Investigação – LEPABE – Laboratório de Engenharia de Processos, Ambiente, Biotecnologia e Energia desde 2013. O LEPABE (https://www.lepabe.fe.up.pt) é um centro de investigação avaliado como Excelente com mais de 220 investigadores, 100 dos quais doutorados. É também Diretora do Programa Doutoral em Engenharia do Ambiente, desde 2020, membro do Senado da Universidade do Porto e do Conselho Científico da FEUP. De 2013 a 2018 foi Diretora do Departamento de Engenharia Química.
Os principais outputs científicos são: (1) 153 artigos em revistas indexadas, (2) 4760 citações, (3) índice-H de 42, (4) investigador responsável de 17 projetos financiados em ambiente competitivo, com financiamento global de 7,5 M€, (5) investigadora da equipa de 15 projetos (um FP-7 europeu), (6) orientação de 10 teses de doutoramento e (7) co-inventora de uma patente. Os principais interesses de investigação são monitorização ambiental, avaliação de risco e tecnologias de degradação, aplicadas a poluentes emergentes.
No que se refere à atividade docente, nos últimos 40 anos tem sido regente de várias unidades curriculares das três licenciaturas do Departamento de Engenharia Química – Engenharia Química, Engenharia do Ambiente e Bioengenharia. É responsável pela área disciplinar de Química, no Departamento de Engenharia Química da FEUP, e é membro dos Conselhos Científicos do Programa Doutoral em Engenharia Química e Biológica da FEUP e do Mestrado em Engenharia de Segurança e Higiene do Trabalho da FEUP.
No que diz respeito à transferência de conhecimento, foi responsável por 14 contratos com empresas ou entidades públicas, participou em Comissões Científicas e Técnicas de organizações profissionais e governamentais, e conduziu auditorias internas a laboratórios de análises químicas.

Professor Adélio Gaspar

Coordenador do Mestrado em Energia para a Sustentabilidade, Universidade de Coimbra

Adélio M. Rodrigues Gaspar (nascido em 1967) é professor associado do Departamento de Engenharia Mecânica (DEM) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) desde 2004, investigador integrado e Vogal do Conselho de Administração da ADAI – Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial, instituição ligada ao DEM-FCTUC e integrada no Laboratório Associado de Energia, Transportes e Aeronáutica (LAETA), e membro da Iniciativa Energia para a Sustentabilidade (EfS) – UC e Programa MIT Portugal. É formador e Perito Qualificado PQ II do SCE. É membro Sénior e Especialista em Climatização da Ordem dos Engenheiros Portugueses, sendo atualmente Coordenador do Colégio Regional Centro de Mecânica. É membro da ASHRAE, atualmente com as funções de Membership Promotion e Student Activites Chair do Portugal Chapter.
As suas atividades de I&DT têm-se desenvolvido nas áreas dos sistemas de climatização e de energia em edifícios, centradas nas preocupações da eficiência energética, qualidade do ambiente interior e desenvolvimento e integração de tecnologias de energia renovável. Neste âmbito participou e participa em vários projetos de investigação e desenvolvimento tecnológico nacionais e internacionais.
É coautor de mais de duas centenas de publicações científicas (revistas e conferências internacionais, capítulos de livro, e conferências nacionais). Como orientador ou coorientador supervisionou 8 bolsas de pós-doutoramento, 6 teses de doutoramento e mais de 90 dissertações de mestrado concluídas.

Professor Luís Tarelho

Vice-diretor do Departamento do Ambiente e Ordenamento, Universidade de Aveiro

Professor Associado em Ciências e Engenharia do Ambiente, no Departamento de Ambiente e Ordenamento, Universidade de Aveiro, Portugal. Membro da Comissão Executiva e Diretor-Adjunto para as áreas Académica e Pedagógica no Departamento de Ambiente e Ordenamento, Universidade de Aveiro. Coordenador do Grupo de Investigação “Avaliação da Circularidade de Recursos e Tecnologia (RCAT)” do Laboratório Associado Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), Universidade de Aveiro.
Tem sido Diretor e Vice-Diretor de cursos de Licenciatura e Mestrado em Engenharia do Ambiente, Mestrado em Sistemas Energéticos Sustentáveis, e membro da Comissão Científica do Programa Doutoral em Sistemas Energéticos e Alterações Climáticas.
Atividade letiva em cursos de Licenciatura, Mestrado e Doutoramento em Ciências e Engenharia do Ambiente, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Sistemas Energéticos Sustentáveis, Sistemas Energéticos e Alterações Climáticas, em unidades curriculares como Termodinâmica, Engenharia de Sistemas de Tratamento, Energia e Ambiente, Energias Renováveis, Ecologia Industrial, Economia Circular.
Tem orientado e co-orientado estudantes de Pós-Doutoramento, Doutoramento e Mestrado. Autor e co-autor de 108 artigos em revistas do Science Citation Index. Tem sido coordenador e membro da equipa de investigação em 30 projetos de I&DT, na área de conversão de energia (tecnologia de conversão e mitigação de impactos ambientais), a maioria em colaboração com a indústria.
Principais competências de investigação em conversão de energia, em particular bioenergia, desenvolvimento e otimização de processos e tecnologias termoquímicas (combustão, gasificação, pirólise) para conversão energética de biomassa e sua integração em processos industriais. Competências no desenvolvimento de protótipos em escala de bancada e em escala-piloto para caracterização, otimização e demonstração de processos de conversão termoquímica de biomassa em vetores energéticos.

Professor Fernando Mira da Silva

Vice-presidente do IST para os Serviços Informáticos, Universidade de Lisboa

Fernando Mira da Silva obteve os graus de Licenciatura (1982) e Doutoramento (1998) em Engenharia Electrotécnica no Instituto Superior Técnico (IST), Portugal.
É investigador do INESC-ID em Lisboa, desde 1983, onde tem desenvolvido investigação na área de Processamento de Sinais, Processamento de Fala, Redes Neuronais, Aprendizagem Automática e Redes de Computadores, tendo sido autor ou co-autor de mais de 35 artigos científicos nestas áreas. Faz atualmente parte do Grupo de Investigação em Redes de Comunicações e Mobilidade do INESC-ID. Tem estado envolvido em vários projetos de Investigação e Desenvolvimento nacionais e internacionais, Tem sido igualmente consultor para a área de telecomunicações e informática de diferentes organismos do Estado.
Entre 1985 e 1987 trabalhou como especialista em HVDC na Hidroelétrica de Cahora Bassa, em Moçambique, tendo mais tarde sido convidado a colaborar na reabilitação da subestação do Songo entre 1995 e 1997, até esta retomar o seu funcionamento regular. Desde 2003 tem colaborado com regularidade na coordenação e leccionamento de cursos superiores na área de informática e de telecomunicações em Angola e Moçambique.
É atualmente Professor do Departamento de Engenharia Electrotécnica e Computadores do IST, onde desempenha funções docentes desde 1982, tendo leccionado múltiplas disciplinas nas áreas de Sistemas Digitais, Programação, Compiladores, Algoritmos, Aprendizagem Automática e Redes de Computadores. Faz parte da Comissão Científica da Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática do IST.
Entre 2003 e 2007 foi Vice-Presidente dos Serviços de Informática do IST e entre 2008 e 2014 foi Vice-Presidente do IST para as Tecnologias de Informação e Comunicação. Entre Março de 2017 e Dezembro de 2018 foi membro da Direção do Capítulo Português da Internet Society (ISOC-PT). Entre Janeiro de 2015 e Dezembro de 2019 foi membro do Conselho de Escola do IST.
Desde Março de 2015 é membro não executivo do Conselho de Administração da Sociedade Taguspark e, desde janeiro de 2020, Vice-presidente do IST para as Tecnologias de Informação e Comunicação.

Professora Ana Luísa Fernando

Membro Integrado do MEtRiCS, Centro de Engenharia Mecânica e Sustentabilidade de Recursos, Universidade Nova de Lisboa

Professora Associada da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Portugal. Investigadora do MEtRiCS, Centro de Engenharia Mecânica e Sustentabilidade de Recursos.

Licenciada em Química Aplicada, ramo Química Orgânica, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. 1990.

Mestre e Tecnologia Alimentar/Qualidade, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. 1996.

Doutorada em Ciências do Ambiente, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. 2005.

Desenvolve actividades investigação com culturas energéticas há mais de 25 anos, com especial interesse em estudos relacionados com a sustentabilidade da produção de culturas energéticas e em estudos que avaliem o potencial tecnológico da produção de bioenergia e biomateriais a partir de biomassa obtida em solos marginais. Paralelamente a estas atividades, também tem desenvolvido trabalho na área das biorefinarias, testando compostos naturais extraídos de plantas em biopolímeros para embalagens ou como aditivos e na extração de celulose e produção de nanocelulose, para materiais.

Orientação: 7 teses de doutoramento (concluídas), 75 teses de mestrado (concluídas), 60 teses de licenciatura (concluídas).

Atualmente coordena o projeto ERANETMED MediOpuntia e também a nível nacional os projetos H2020 MAGIC e GOLD.

Autora e co-autora de diversas publicações: capítulos de livros (16), artigos científicos (50), publicações em atas de conferencia (112), entre outras publicações científicas e técnicas.

REGULAMENTO 2021

As Medalhas de Mérito Científico REN – Ciência LP, podem ser atribuídas a dois tipos de destinatários:

i) Mulheres até aos 35 anos, oriundas de países africanos de língua portuguesa que tenham realizado projetos de investigação no âmbito da sua formação avançada (mestrado ou doutoramento), em áreas de transição energética;

ii) Estudantes (M/F) oriundos de países africanos de língua portuguesa, que tenham realizado projetos de investigação no âmbito da sua formação avançada (mestrado ou doutoramento), cujo objeto de estudo seja a transição energética em África;

2.1. Para cada tipo de destinatário, as Medalhas de Mérito Científico têm associado um valor pecuniário e poderão ser atribuídos dois prémios:

› Mulheres até aos 35 anos

1º Prémio: 5.000 € (cinco mil euros)
2º Prémio: 2.500 € (dois mil e quinhentos euros)

› Estudantes (M/F)

1º Prémio: 5.000 € (cinco mil euros)
2º Prémio: 2.500 € (dois mil e quinhentos euros)

2.2. Serão atribuídos diplomas alusivos à Medalha de Mérito Científico, dos quais constarão a identificação do premiado, o título do trabalho e o ano a que se reporta.

3.1. Para a atribuição das Medalhas de Mérito Científico REN – Ciência LP, serão considerados trabalhos de investigação no âmbito de formações avançadas (mestrado ou doutoramento), que incidam em áreas de transição energética que consubstanciem uma contribuição para a descarbonização da sociedade e sustentabilidade do planeta.

3.2. A REN e o Centro Ciência LP poderão, em cada eventual edição posterior, estabelecer quais as categorias consideradas prioritárias para efeitos de candidaturas.

4.1. Condições de admissibilidade
a) De acordo com o tipo de destinatário referido no Artigo 2º, poderão candidatar-se os autores de trabalhos concluídos e apresentados entre os anos 2018 e 2020 inclusive.
b) Não serão admitidos trabalhos que não satisfaçam as condições fixadas nos artigos 1º, 3º e 4º deste regulamento.
c) não poderão candidatar-se às Medalhas de Mérito Científico os trabalhadores da REN ou de qualquer empresa participada, do Centro Ciência LP, bem como os respetivos cônjuges, ascendentes e descendentes.

4.2. Formalização
A candidatura deve ser enviada por email para o endereço medalhas_merito@ciencialp.pt com quatro ficheiros em anexo:
a) Curriculum Vitae do/a candidato/a;
b) Tese de mestrado ou doutoramento candidata à Medalha de Mérito Científico em formato PDF e sem identificação do/a autor/a;
c) Identificação do(s) orientador(es) da dissertação e instituição de ensino superior onde foi realizado a formação;
d) Cópia do edital da universidade, confirmando a data do ato público da defesa da tese ou cópia da certidão de mestrado ou de doutoramento
e) Declaração de consentimento por si assinada.

4.3. Prazo para apresentação dos trabalhos
O prazo para apresentação dos trabalhos referentes à edição 2021 das Medalhas de Mérito Científico REN-Ciência LP termina a 20 de julho.

5.1. Os trabalhos apresentados que respeitem as condições de candidatura referidas neste regulamento serão avaliados por um Júri constituído por cinco Professores ou Investigadores de reconhecido mérito nas áreas científicas a concurso, de Unidades Orgânicas das Universidades que integram o Consórcio das Escolas de Engenharia, onde se realiza investigação na área em que as Medalhas são atribuídas.

5.2. As deliberações do Júri serão tomadas em reunião expressamente convocada para o efeito, por maioria simples das votações dos seus membros, desde que esteja presente a maioria simples da totalidade dos mesmos.

5.3. Em caso de empate, caberá ao Presidente do Júri voto de qualidade.

5.4. O Júri é soberano quanto às decisões tomadas, das quais não cabe qualquer tipo de recurso.

6.1. A análise e avaliação dos trabalhos caberá ao Júri, segundo critérios fixados previamente que contemplarão os seguintes aspetos:

a) Nível de conhecimentos científicos e técnicos evidenciados no trabalho;
b) Capacidade de utilização do método científico;
c) Caráter inovador da abordagem e dos resultados;
d) Criatividade quanto aos objetivos propostos e aos métodos desenvolvidos;
e) Método, estrutura e organização da apresentação.

6.2. No processo de avaliação e para cada destinatário, serão apurados os dois melhores trabalhos a que serão atribuídas o primeiro e o segundo e prémio.

6.3. Se o Júri considerar não haver trabalhos concorrentes que preencham os critérios fixados no ponto 6.1. deste Regulamento, os prémios, no todo ou em parte, não serão atribuídos.

7.1. A classificação dos trabalhos será comunicada aos concorrentes, por carta ou correio eletrónico, no máximo até cinco meses após a data limite para a sua apresentação, podendo também ser divulgada através de outros meios.

7.2. As Medalhas, os prémios pecuniários e os diplomas serão entregues aos premiados ou aos seus representantes devidamente credenciados, em cerimónia a realizar em data, horário e local a designar pela REN e Centro Ciência LP.

8.1. A REN e o Centro Ciência LP reservam-se o direito de publicar e divulgar os trabalhos premiados.